A igreja e a sustentabilidade: Como a igreja tem trabalhado o tema sustentabilidade com os membros? – part.2 – Adriano Silva

A igreja e a sustentabilidade: Como a igreja tem trabalhado o tema sustentabilidade com os membros? – part.2 – Adriano Silva

COMO A IGREJA TEM TRABALHADO O TEMA SUSTENTABILIDADE COM OS MEMBROS?

O tema “sustentabilidade” tem sido parte da agenda de varias igrejas cristãs, sendo criados até mesmo projetos e ministérios voltados a esta área, assim como o Ecoliber da Segunda Igreja Batista em São Paulo – Igreja Batista da Liberdade que segundo seu site:

“Desde o ano de 2008, o pastor Eli Fernandes vislumbrou a necessidade da existência de um ministério que representasse uma preocupação constante com pessoas em situação de vulnerabilidade e com o meio ambiente. Criou-se então desta forma o Ecoliber, um ministério de Sustentabilidade Socioambiental que está atuante e com o grande propósito de promover ações e projetos simultâneos dentro e fora da Igreja com o objetivo de formar e multiplicar agentes socioambientais cristãos”. (GRANDI, 2012).

Nota-se que esta igreja não é a única a atuar de forma a conscientizar os demais quanto à preocupação com o nosso meio ambiente, mais a realidade atual é que são poucas as que têm este mesmo pensamento, visão e compromisso.

Temos visto varias mudanças no pensamento cristão em relação ao meio ambiente, mudanças estas que beneficiam as praticas sustentáveis, algo que nem sempre foi assim, como bem descreve Paulo César Pereira em seu texto:
“Religião e sustentabilidade: meio ambiente e qualidade de vida”, o cristão “acredita em um Deus ou em Deuses que habita nos mais altos céus ou em lugares inalcançáveis aos pobres mortais.
Enquanto isso, os homens que desejarem uma aproximação com o divino, devem se preocupar em encontrar caminhos que os transportem para essa nova dimensão, deixando em segundo plano as preocupações e os compromissos com a vida neste planeta.Por que investir tempo e recursos na terra se tudo isso um dia será destruído? ”. (PEREIRA,2013, p.131).

Era assim que pensavam, porém, agora precisamos preservar o que Deus criou para desfrutarmos de seus benéficos em longo prazo, sabendo utilizar de suas riquezas terrenas sem perdê-las nos dias futuros, por isso estamos conscientizando todos os cristãos a esta grande responsabilidade que faz parte da vida diária de cada um até o dia do arrebatamento.

Finalizando: A igreja e a sustentabilidade devem caminhar juntas como promotoras da pratica de novos recursos sustentáveis, de ações intermediadoras de preservação ambiental e na multiplicação de cidadãos que se tornarão agentes multiplicadores deste projeto, desta ideia, a parte social de nossa igreja deve se estender a esta visão sustentável.

Ainda há muito a ser feito, mais só iremos conseguir alcançar nossos objetivos sustentáveis através das entidades religiosas, dos centros comunitários e dos meios sociais de mobilização que tem grandes influências sobre uma grande quantidade de pessoas que também se tornarão agentes multiplicadores dessa ideia, podendo assim ser plantada e replantada a ideia de um ambiente sustentável, ou ate mesmo ser regada para que possa se tornar mais impactante dando frutos na sociedade onde nós vivemos criando assim os seus multiplicadores da “sustentabilidade”.

Que você possa ser edificado com essa reflexão desde sua vida espiritual como social!

Viva vencendo e crescendo na graça e no conhecimento de nosso senhor Jesus Cristo.
De seu irmão menor Adriano Silva
Fique na paz do senhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*