Avivamento pela Palavra – 5ª Parte – O grande avivamento de Neemias 8 – 10 – Ev. Samuel Eudoxio

Avivamento pela Palavra – 5ª Parte – O grande avivamento de Neemias 8 – 10 – Ev. Samuel Eudoxio

APÓS O TÉRMINO DA OBRA, QUANDO TODAS AS BRECHAS DO MURO E AS PORTAS ESTAVAM RECONSTRUÍDAS, ACONTECEU UM GRANDE AVIVAMENTO
VEJAMOS:
1 – O povo se ajuntou para ouvir a Palavra de Deus. 8.1
A – A decisão partiu do povo. Eles se dispuseram a buscar a Palavra de Deus. Era Deus assoprando sobre o “vale dos ossos secos”. (Ez 37)
B – Era um movimento unânime: “como um só homem”.  Todos obedeceram ao chamado de Deus para o avivamento
C – Spurgeon disse “que a graça pode operar no coração do homem sem o esforço do pregador, mas esse sem a operação da graça não convencerá a ninguém”.
D – O povo estava sedento para ouvir a Palavra: “que trouxesse o livro da lei de Moisés”. Hoje, muitos não vêm á igreja em busca da Palavra, mas em busca de uma liturgia que melhor lhes agrade.
Outros vêm para ouvir um pregador ou cantor famoso, ao invés de comparecerem para o real propósito, que é de adorar a Deus e ouvir Sua Palavra.
E – Todos do povo queriam a Palavra: “assim de homens, como de mulheres e de todos os sábios para ouvirem”.  (v.2)
Homens, mulheres e crianças. Todos foram influenciados para comparecerem aquele grande culto. Precisamos influenciar a geração presente, para que as futuras sejam alicerçadas pela Palavra de Deus.
F – O povo tinha prazer em ouvir e ficou ali o tempo necessário: “desde a alva até ao meio-dia”. (v. 3)
Ficaram mais de 6 (seis) horas ouvindo a Palavra de Deus. Infelizmente em muitos cultos o tempo que se tem dedicado á Palavra de Deus não passa de 15 ou 20 minutos, enquanto dedica-se de 1 (uma) a 1:30 (uma hora e meia) á louvores (louvores?), testemunhos e outras programações. O tempo da Palavra não pode ser substituído em nossos cultos, senão nunca experimentaremos um verdadeiro avivamento.
G – Aquele povo reverenciava a Palavra: “e os ouvidos de todo o povo estavam atentos ao livro da Lei.” (v. 3)
Há pessoas que acabando o período de louvor deixam o local de culto e não têm prazer em ouvir a Palavra de Deus. Eles ouviam com atenção. É impressionante o número de pessoas desatentas e que conversam durante a ministração da Palavra de Deus. Outros “aproveitam” esse momento para irem ao banheiro ou tratar de assuntos administrativos.
A sede por ouvir a Palavra é um grande sinal do verdadeiro avivamento! Um avivamento que não esteja baseado na Palavra e alicerçado Nela, não pode ser considerado um avivamento genuíno.
2 – O ministério de ensino e da pregação requer obreiros preparados. V. 4
A – Onde Esdras se posicionou para ensinar a Palavra? “estava sobreum púlpito de madeira, que fizeram para aquele fim”
Antes de Esdras assumir a tribuna, ele tinha se preparado.
Esdras 7.10: “Porque Esdras tinha preparado o seu coração para buscar a Lei do Senhor, e para a cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus direitos.”
1º passo – “buscar a lei do Senhor” – o obreiro, pastor, pregador ou aquele que ensina tem que ter o compromisso de estudar a Palavra. Isso demanda tempo e dedicação. A fonte de inspiração do pregador nunca poderá deixar de ser a Palavra. Ele deve se debruçar sobre Ela e colocar-se como um eterno aluno. A fonte de nossas mensagens nunca poderão ser a internet ou outros meios. Podemos usar livros, dicionários e até mesmo a rede de computadores para auxiliar na pesquisa, mas nunca como forma de plagiar a mensagem. Esta deve vir de Deus, através de Sua Palavra.
Já ouvi muita gente dizendo: “de mim mesmo não tenho nada”. Penso que se não tem, melhor então é que se cale! A esses já ouço com desconfiança!
2º passo –  “e para a cumprir” – o pregador que primeiro não cumpre aquilo que fala, melhor é que não aborde o assunto. O pregador nunca pode ter aquele lema de que “faça o que eu lhe falo, mas não faça o que faço.”
3º passo – “e para ensinar” – se o pregador tem um testemunho de que vive a Palavra, além de estudá-la, ele tem autoridade para pregá-la.
Aquele que não se prepara, melhor é que fique “sob” o púlpito e não“sobre” ele.
B – O que a Bíblia diz sobre a preparação dos obreiros?
– Deve manejar bem a Palavra – 2 Tm 2.15: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.”
– Deve ser apto para ensinar – 1 Tm 3.2: “Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar.”
– Deve conhecer,  seguir e pregar  a doutrina (não os costumes) – 2 Tm 3.10 – “Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, caridade, paciência,”
– Deve se preparar para o ensino – 2 Tm 4.2 – “que pregues a Palavra…” O pregador ou ensinador deve conhecer a Palavra que prega, senão vai se entregar ás “fábulas”. (v. 4)
No entanto, qual é o perfil dos pregadores da atualidade?
– Oram pouco, ou quase nada. Como esperar um avivamento?
– Lêem pouco a Palavra
– Se preocupam mais com o resultado imediato do que com os frutos que sua mensagem produzirá
– Querem um lugar na mídia gospel
– Fazem do púlpito uma forma de ganho. A gratidão agora é salário!
– Tem de 03 a 05 mensagens que pregam por onde passam. Dificilmente você suportaria vê-los pregar por várias vezes
– Investem muito no visual; se preocupam com a aparência, não que deva ser desleixado
– Tem boa oratória
– Usam técnicas de convencimento
– Técnicas de emocionar o público
– Mensagens sem conteúdo Bíblico. Pregam de tudo, menos a Cristo!
– Mensagens marqueteiras. Vendem seu “produto” (CDs, DVDs, livros, etc)
Por que os obreiros devem voltar á pregação genuína da Palavra e abandonar as inovações
As inovações passam, a Palavra permanece. 1 Pe 2.24,25
Ela é a Palavra de Deus – “Pelo que também damos, sem cessar, graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebeste, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós, os que crestes.”
 Ela é pura -“Toda palavra de Deus é pura; ele é escudo para os que nele confiam.”  (Pv 0:5)
Ela é valiosa – “Aceitai o meu ensino, e não a prata, e o conhecimento, antes do que o ouro escolhido. Porque melhor é a sabedoria do que jóias, e de tudo o que se deseja nada se pode comparar com ela.”(Pv 8:10-11).
Ela é a verdade – “As tuas palavras são em tudo verdade desde o princípio, e cada um dos teus justos juízos dura para sempre”(Sl 119:160).
Ela é eterna – “Para sempre, ó Senhor, está firmada a tua palavra no céu” (Sl 119:89).
Ela é imutável – “A palavra do Senhor, porém, permanece eternamente. Ora, esta é a palavra que vos foi evangelizada”(1 Pe 1:25).
 Ela é profética – “porque nunca,  jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo”(2 Pe 1:21).
Ela é perfeita e fiel – “A lei do Senhor é perfeita e restaura a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos simples” (Sl 19:07).
Ela é Lâmpada – “Lâmpada para os meus pés é a Tua Palavra e Luz para o meu caminho”(Sl 119:105).
Ela purifica – “Como purificará o mancebo o seu caminho? Observando-o conforme a tua Palavra.” (Sl 119.9)
Ela lava – “para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra,” (Ef 5.26)
Ela santifica – “porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificada.” (1 Tm 4.5)
C – Os levitas ensinavam ao povo. V. 7
Atos 8.30,31 – Filipe e o etíope: “E, correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías e disse: Entendes tu o que lês? E ele disse: Como poderei entender, se alguém me não ensinar? E rogou a Filipe que subisse e com ele se assentasse.”
Continua…
Em Cristo,
Samuel Eudóxio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*