JEFTÉ, O FILHO DA PROSTITUTA – Ev. Samuel Eudóxio

JEFTÉ, O FILHO DA PROSTITUTA – Ev. Samuel Eudóxio

    O homem quase sempre escolhe pessoas cujas famílias são bem aceitas na sociedade, ou no meio em que vivem, para estar ao seu lado. Quase ninguém quer ter a companhia de alguém cuja família está passando por problemas na justiça, drogas, álcool, prostituição, ou outros problemas que poderiam manchar a sua reputação. Com Deus não é assim.

Lendo a Bíblia você encontrará várias pessoas que tinham tudo para ser um fracasso na vida, mas que Deus mudou a sua história. Deus não vê como o homem (1 Sm 16.7), pois este sempre vê o exterior, mas Deus vê o coração, as nossas intenções. Jesus também, sendo Deus, olhava para as pessoas, e mesmo estas sendo pecadoras, perdidas, Ele dava-lhes atenção cultivando nelas o sentimento de valorização e utilidade (Jo 4; Jo 8.1-11; Mt 8.1-4; Jo 21.13-19; Mt 9.36; At 9.13-15). Deus não vê como o homem! Glória, pois, a Ele por isso!

Em Juízes somos surpreendidos com um personagem que tinha tudo para “chutar o balde” e viver uma vida de ressentimentos, revoltas, e quem sabe acabar de maneira trágica. O nome dele é Jefté. Sua história está a partir do capítulo 11 de Juízes. O escritor chama-nos a atenção ao iniciar a história de Jefté citando duas qualidades dele: “valente e valoroso” (Jz 1.1).

Há muitos que estão rodeados de pessoas de boas qualidades, talentos, dons, capacidades, são pessoas agradáveis, mas que ao ouvir sua história, quem sabe sua origem, o seu juízo de valor a respeito daquela pessoa muda de imediato. Jefté tinha qualidades, “era valente e corajoso, porém filho de uma prostituta” (v. 1), e por ter nascido nestas condições seus irmãos o repeliram e lhe disseram: “Não herdarás em casa de nosso pai, porque és filho de outra mulher”. Mas Deus não vê como o homem!

A Bíblia nos diz que Jefté fugiu de casa e se ajuntou a ele homens levianos (Jz 11.3). Isso me faz lembrar de outro grande homem de Deus chamado Davi, que ao fugir de Saul para a caverna de Adulão, “ajuntou-se a ele todo homem que se achava em aperto, e todo homem endividado, e todo homem de espírito desgostoso, e ele se fez chefe deles” (1 Sm 22). Mas isso é assunto para outra ocasião. Mas há algo em comum entre os dois. Ambos foram desprezados, tinham um chamado e sabiam lidar com pessoas problemáticas. Jefté trabalhou o seu problema pessoal, foi moldado para ajudar os outros a resolver os seus problemas, se destacou-se como líder deles e estava pronto para ser usado por Deus no momento certo e na hora certa. E esta hora estava por chegar.

Passados os dias, o exército de Amom combateu contra Israel. O exército desesperou-se porque não havia guerreiros capazes de lutar e garantir a vitória do Povo Escolhido. Era o momento e a hora de Deus usar Jefté, e diante do aperto “foram os anciãos de Gileade buscar Jefté na terra de Tobe” (Jz 11.5). Era Deus honrando o filho da prostituta. Deus não vê como o homem!

Naquela batalha contra Amom, Jefté tentou resolver a questão de forma diplomática para evitar o derramamento de sangue, mas sem resultados positivos. A guerra seria a única saída, e para isso “o Espírito do Senhor veio sobre Jefté, e atravessou ele por Gileade e Manassés; porque passou até Mispa de Gileade e de Mispa de Gileade passou até aos filhos de Amom. Assim Jefté passou aos filhos de Amom a combater contra eles; e o Senhor os deu na sua mão” (Jz 11.29,32). Deus deu a vitória ao povo de Israel através das mãos do filho de uma prostituta. Deus não vê como o homem!

“Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes” (1 Co 1.27). Não importa os problemas que você esteja passando ou já passou. Não importa se sua origem ou sua família seja a mais humilde. Não importa a sua posição social. Não importa se você é um daqueles que como Jefté foi excluído por causa de preconceitos ou algum juízo de valor mal formulado que fizeram de você. Para Deus não importa de onde você veio, mas as suas convicções de para onde você vai. Creia que Deus pode valorizar o que ninguém dá valor, e usar para seus propósitos as “coisas vis e desprezíveis deste mundo” ( 1 Co 1.28). Ele fez isso com Jefté e pode fazer com você também.

Em Cristo,
Samuel Eudóxio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*